sexta-feira, 13 de abril de 2012

SANTOS e O MUNDO QUE VOLTA



Centenário do Santos. Desnecessário dizer que os feitos extraordinários de sua história se devem ao melhor jogador de todos os tempos e a tantos craques anteriores a Ganso e Neymar. Lembro-me do meu velho João Pequeno – que até me deu uma camiseta listada do time da Vila Belmiro, em 1976; não me esqueço dos 'Meninos da Vila' de 78-79, para os quais torci na final, após a trágica desclassificação do Palmeiras pelo Jd.Leonor; muita saudade tenho dos vários jogos que vi no Morumbi, num tempo em que o povo tinha mais acesso às arquibancadas e às quatro linhas, repletas de ginga, emoção e verdade.

Fala-se que, em tempos áureos, o clássico nacional era Santos e Botafogo, mas qual a real notoriedade da “estrela solitária” frente ao time de Pelé? Quais os feitos do Botafogo de Garrincha, comparados aos acumulados por Mengálvio, Dorval, Coutinho, Pelé e Pépe. Era só mesmo contra o Botafogo o grande jogo dos anos 60? Ou preferem lembrar do ‘glorioso’ carioca, somente para evitar aquele que para todos os adversários sempre foi  “o espinho atravessado na garganta”? Enquanto aguardo a resposta dos botafoguenses e dos desmemoriados, não posso deixar de registrar que com e sem Pelé, com e sem ‘meninos da Vila’, com e sem Ganso e Neymar, o time brasileiro que sempre incomodou e continua incomodando o Santos foi e é outro: a pedra no sapato (obrigado, Giorgetti), hoje enterrada na teimosia e incompetência.

Mas, continuando com os aniversariantes, indico abaixo a íntegra da vitória santista no primeiro jogo da final nacional de 1983. Jogo jogado em alto nível, acompanhado in loco por 119.984 torcedores, esse belo clássico - de passado não tão distante -  serve como referência para dimensionarmos a mediocridade vivida atualmente pelo futebol brasileiro.
dfadfaa
“E a volta do mundo é que dói lá no fundo”.
Salve para sempre, EDERALDO GENTIL! Nas voltas e revoltas dos mundos!!!!!

Êta mundo que volta
e a volta do mundo
É que dói lá no fundo
Êta mundo que volta
e a volta do mundo
É questão de segundos

É questão de segundos
A volta do vento
Mudança do tempo
Revolta do mar
A volta do moço que envelheceu
A volta da moça que um dia se deu
A volta do jogo que muda o placar
Olha a volta revolta
Na porta do bar
Olha a volta do sol
Da chuva e da lua
A volta da noite
Olha a volta do dia
Oh! Volta do mundo
Que traz a vingança
A dor, a esperança
O amor, a verdade
Oh! Volta do mundo
Só por um segundo
Traz ao meu mundo
A felicidade”

Nenhum comentário: