quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

"TCHIÉLSSI"


Um dos efeitos relevantes da desclassificação do SCCP na pré-libertadores será, talvez, a concessão por parte da mídia de maior destaque às competições nacionais. Como o clube que detém a segunda maior torcida do Brasil não disputará neste ano mais nenhuma competição internacional, pode ser que o 'paulistinha' volte a ser visto ao menos como 'campeonato paulista' e que o Brasileiro e a Copa do Brasil não sejam encarados apenas como meros passaportes para a Libertadores e para o Mundial. Mundial, aliás, para o qual Real Madrid, Barcelona, enfim, os 'Tchiélssis' da vida estão pouco se lichando. Inversamente aos basbaques vassalos 'brazileiros' que, submetidos ao complexo de vira-lata e felizes protagonistas periféricos do colonialismo cultural, consideram o máximo pisar num gramado ajeitadinho cuspido por algum europeu. Era diferente. Eles invejavam nossa arte de jogar bola; temiam-nos. Em nossa seleção de 82, a melhor de todos os tempos em minha opinião, apenas Falcão jogava em outro país. E todos nos sentíamos representados pelo escrete; muito diferente do atual, sempre repleto de Mellos e malas da vida. Nosso estadual era o "Paulistão"; ninguém ligava muito para Arsenal, Milan e pregos do tipo. Mas há cada vez mais quem considere evolução babar ovo da pompa e circunstância dos loirões 'blue eyes' das europas. Intrigante nosso processo de subdesenvolvimento no quesito futebol, preocupados que estamos mais em nos igualarmos aos gringos, do que em acentuarmos nossas diferenças que, nesta arte, sempre nos fizeram mais felizes e admirados. Conquistas e reconhecimento internacionais são resultantes do sucesso obtido na terra onde nasceram e jogaram Pelé, Garrincha, Coutinho, Ademir, Zico e tantos outros . Difamar incessantemente os campeonatos regionais, minimizar a importância da copa do Brasil e do Brasileirão, fazendo da Libertadores e dos Mundiais de ocasião a única razão de ser das glórias de nossos clubes, é um desrespeito à lógica e ao nosso próprio talento. Quê quê quê quê quê quê quê 'Tchiélssi' o quê, rapaz!

Nenhum comentário: