sexta-feira, 20 de agosto de 2010

PALMEIRAS ÉPICO

O torcedor 'qualquer nota' dirá que foi apenas uma vitória sobre o Vitória. Chamará de doente aquele que comemora como se fosse título uma classificação obtida no final do jogo. Acrescentará, com certo ar 'blasé', que não gastaria seu precioso tempo com um "time que não ganha nada de importante há muitos anos". Protagonista de fracassos absurdos, é fato, o Palmeiras é Palmeiras pelas alegrias quase letais que provoca em uma torcida que reconhece, até pelo rebote dos vexames e impropérios, os momentos de afirmação histórica, de celebrar o orgulho de ser o que é. Se há uma torcida que tem um time e não o inverso, permitam-me os "rivales", esta é a torcida do Palmeiras. Eis uma das prováveis razões de ser o time com o maior número de ídolos claramente identificados com o clube e seus torcedores. Os 500 jogos de Marcos, os desfalques de um elenco sempre posto em dúvida, as chacotas da imprensa e dos torcedores adversários, configuraram o contexto ideal para uma vitória típica do Palmeiras treinado pelo campeão Scolari. Para a história, o presente. O presente dos gols, o êxtase dos fanáticos alviverdes e o silêncio do outro lado.

Um comentário:

Anônimo disse...

Agora vai !?

Wagner