quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Palmeiras 2 x 0 Jd. Leonor


Estrondosa repercussão de lamentáveis conflitos entre torcedores pela cidade, entrevistas sobre o estado de saúde de Ricardo Gomes, microfones e câmeras à Marco Aurélio Cunha, cujos relatos médicos sobre o tal estado de saúde ofuscaram sua duvidosa condição de legislador da cidade de São Paulo. Eis os escudos que se somaram à repetição exaustiva das desculpas leonores, segundo as quais Xandão não deveria ter sido expulso e de que o primeiro gol do Palmeiras foi de mão. O fato é que Xandão, já com merecido amarelo, segurou pela camisa um jogador do Palmeiras que avançava pela esquerda, impedindo sua progressão. Falta clara para outro cartão amarelo e, portanto, para expulsão. O goleiro de hóquei do Jd. Leonor fez escândalo, babou, deu xilique e o que fez a servil meretriz de madame? Propagou a dúvida, reproduzindo feito jabá a cardíaca declaração de Ricardo Gomes de que o árbitro teria interferido diretamente no resultado. Até porque, conforme testemunho de ex-jogador hoje jornalista, Robert teria aberto o placar com gol de mão. Para sustentar esse argumento, brigas com a imagem até o nocaute, enésimas repetições em câmera lenta e a surpreendente constatação a contragosto de que, no máximo, após a cabeçada de Robert, SE a bola bateu em sua mão, o toque teria sido involuntário, o que validaria o lance.

Vejam vocês que o fato incontestável entre as quatro linhas foi obscurecido. E que fato é esse? Palmeiras 2 x 0 Jd. Leonor. Fato tão obscurecido quanto a ilegalidade não assinalada pela arbritragem dos dois gols que o Jd. Leonor fez no Barueiri (ops! Pres. Prudente) na 5ª feira anterior ao clássico do Palestra. Madame ficou com mais 2 pontos na mão grande - pois não houve pênalti no gol de empate contra o Barueri, e na mesma peleja Richarlyson fez falta clara, não marcada, na jogada que originou o 3º gol - e quem levou a fama foi o Palmeiras. Criado o clima, portanto, para que os intelectuais do jornalismo esportivo digam, fiados em versões por eles mesmos criadas, que a arbitragem erra equanimemente para todos e que o Palmeiras reclama de boca cheia. Daí vão falar que o Palmeiras foi beneficiado "naquele" jogo contra o Cruzeiro (interessante só lembrarem daquele jogo) - que teria tido 253 pênaltis não marcados a seu favor - e que ganhou do São Paulo só porque fez gol de mão, após um zagueiro do melhor e mais moderno time de toda a história em todos os tempos ter sido expulso injustamente.
Mas fato mesmo que é bom, nada! E aqui, lá vai: Palmeiras 2 x 0 Jd. Leonor.
Madame! Pega que é sua! Ou então vem me dizer que você não valoriza o 'Paulistinha', que você só tá interessada na Libertadores. Vem! Cê fica patética quando perde.

5 comentários:

Anônimo disse...

palmeiras e ruim

Everaldo Efe Silva disse...

Ruim É a sua conjugação do verbo ser.

Anônimo disse...

Palmeiras é ruim.

Everaldo Efe Silva disse...

Parabéns! Agora acertou a conjugação verbal.

Anônimo disse...

Sou bom